"ENSINA-NOS O QUE DEVEMOS FAZER PELO MENINO"

Que faremos pelo menino

Introdução:

1. "Então disse Manoá: 'Gostaríamos de receber toda instrução possível, para que possamos criar bem o menino que vai nascer - para que ela fique bem preparado para a vida e a vocação dele"'Juí. 13:12 B. V.

2. O Anjo do Senhor, isto é, Cristo, apareceu á esposa de Manoá.

3. Ele veio para predizer o nascimento de uma criança que seria uma "nazireu de Deus" e um libertador de Israel...

4. O primeiro sentimento de Manoá ao receber as novas trazidas por sua esposa foi que para treinar a criança para o serviço do Senhor, Sua graça seria grandemente necessária...

5. Então ele orou ao Senhor dizendo: "Ah! Senhor meu, rogo-Te que o homem de Deus, que enviaste, ainda venha para nós outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer" (Juí, 13:8).

6. Quando em resposta á sua oração o Anjo veio novamente, sua única petição foi: "... como deverá ser a vida do menino?..." (v. 12 B. J.).

7. Consideremos a oração e a resposta divina que aqueles pais receberam.

I. MANOÁ


OBSERVE O PROFUNDO SENSO DE RESPONSABILIDADE QUE MANOÁ SENTIA PELA NOBRE TAREFA DE EDUCAR UM FILHO COMO UM "NAZIREU DE DEUS"...

A. O Anjo já havia dado à sua esposa as instruções necessárias...

1. Mas ele estava tão profundamente impressionado com a santidade do chamado deles como pais desta criança, que pediu ao Anjo para vir novamente e ensiná-los.

2. Que contraste com a descuidada auto-confiança, com a qual muitos pais cristãos hoje assumem a tarefa de educar seus filhos!...

3. O que pensaríamos de um homem que oferecesse o gerenciamento de um banco ou o comando de um transatlântico a uma equipe não treinada para assumir tal tarefa?...

4. O que deve ser dito da presunção que não sente nenhum temor ao assumir o enorme desafio de educar um ser tão valioso como uma criança guiada através dessa vida tão cheia de tentações e perigos?...

5. Todos os pais cristãos deveriam aprender de Manoá a sentirem e confessarem sua ignorância, e, como ele, disporem-se de uma vez por todas a buscar e obter a graça que eles necessitam...

B. Devemos notar, além disso, como o sentimento de necessidade de Manoá o levou imediatamente a orar ao Senhor...

1. Ele cria que o Senhor era o "Deus vivo" que ouve as orações...

2. Ele cria que quando Deus estabelece um mandamento ou uma tarefa, Ele também nos concede graça para realizá-los.

3. Ele cria que quando Deus concede uma criança a alguém para ser educada para Seu serviço, Ele também oferece a sabedoria necessária para a realização de Seus planos.

4. Em vez de deixar que o sentimento de inabilidade e fraqueza o oprimisse, ou permitir que sua obrigação o levasse a agir com suas próprias forças, ele simplesmente orou...

5. A oração de Manoá foi a solução para as dificuldades, o suprimento das necessidades, a fonte de sabedoria e força,..

C. Cada criança é um dom de Deus tão verdadeiramente como o filho de Manoá, e tem o mesmo direito de ser educada para o Senhor e Seu serviço.

1. Como Manoá, também podemos contar com o auxilio do Pai, que nos tem confiado filhos, para conceder-nos a graça para educá-los para Ele...
Sermões Especiais para Dias e Ocasiões Especiais 64

2. A única coisa que precisamos é orar, orar com fé, orar sem cessar em cada fase de nossa nobre tarefa.

3. Podemos orar de todo coração e com a doce certeza que Deus ouve as orações de um pai que procura sabedoria para educar seu filho...

D. Há uma coisa mais que devemos observar com respeito á oração feita por Manoá.

l. Ele orou, depois que sua esposa contou-lhe as instruções do Anjo.


2. Manoá desejou ardentemente ouvi-las por si mesmo, para estar seguro delas...

3. Como pais, temos na Palavra de Deus orientações claras e completas para educarmos nossos filhos.

4. Nossa experiência ou a que temos recebido de outros nos ajudam muito, mas não diminui nossa necessidade de oração.

5. Com cada filho, sempre precisamos de sabedoria renovada que procede do Céu...

6. Oração renovada diariamente é o grande segredo na educação de nossos filhos para Deus...

II. A EXPERIÊNCIA DE MANOÁ 


TAMBÉM NOS ENSINA QUE DEUS SENTE PRAZER EM RESPONDER O CLAMOR DE UM PAI...

A. O Anjo não tinha nada de novo para comunicar além do que Ele havia dito á esposa de Manoá.

1. Contudo, Deus O enviou novamente porque Ele não ignora o pai que busca conhecer completamente sua vontade.

2. O fato do Anjo ter vindo uma vez encorajou Manoá a esperar que Ele podia vir uma segunda vez..

3. Aqueles que já se comunicaram com Deus buscando orientação para educarem seus filhos, desejarão mais instruções...

B. A resposta á oração de Manoá não tinha nenhuma revelação nova...

1. Ela simplesmente apontava á instrução que fora dada anteriormente...
a. "... A sua mulher deve fazer tudo o que eu já disse a ela.. (Juí. 13:13 BLH).

2. Em resposta á nossa oração, pode ser que nenhuma nova verdade seja revelada; talvez nenhum novo pensamento seja comunicado...

3. Entretanto, a resposta á oração pode ser algo melhor ainda.

4. O Espírito Santo pode levar-nos de volta àquilo que o Senhor já nos falou...

5. Pode levar-nos a estudar mais cuidadosamente os princípios estabelecidos em Sua Palavra que nos orientam na educação de nossos filhos...

6. E assim, compreenderemos como nunca o fizemos antes, como nossos filhos pertencem ao Senhor e portanto devem ser guardados para Ele...

7. Como pais entenderemos mais profundamente que somos ministros de Deus, e que nossa vida deve ser uma bênção para nossos filhos...

III O ANJO DEU ORIENTAÇÕES 


A RESPEITO DE COMO DEVIA SER A VIDA DA MÃE ANTES DO NASCIMENTO DA CRIANÇA.

A. O nazireu devia ter uma mãe que também fosse dedicada ao Senhor.

1. Ela não devia comer ou beber o fruto da vinha nem qualquer coisa impura...
2. Separação do mundo...

a. Pureza e santidade...
b. Este era o segredo de Deus para o dever da mãe...

3. A educação de nossos filhos não envolve tanto o que fazemos ou dizemos, mas tudo aquilo que somos...

a. Isto é verdade não somente quando nossos filhos têm idade para ver e julgar, mas mesmo antes do nascimento deles.

4. Naquele tempo santo e misterioso, quando mãe e filho ainda são um, e influências da mãe passam para a criança, Deus diz:

a. Faça "tudo o que Eu já disse"...

5. Isto requer uma vida de moderação e abnegação...

6. A mãe deve abster-se de tudo aquilo que não é útil para sua consagração e companheirismo com Deus...

B. Uma vida de pureza e obediência é a preparação para a obra que deve ser realizada pelos pais...

l. A resposta de Deus á oração: "O que devemos fazer por nosso filho?" é: "como você vive, como você educa"

2. Viva como um nazireu, santo ao Senhor, e seu filho será um nazireu de Deus...

Conclusão


1. Como pais tementes a Deus devemos educar nossos filhos para o serviço do Senhor...

2. Devemos rogar pelo Espírito Santo a fim de obtermos santidade e sabedoria...

3. Precisamos rogar para que o Senhor abra nossos olhos a fim de vermos e transmitirmos a nossos filhos os tesouros de sabedoria que estão contidos em Sua Palavra.

4. Precisamos pedir que Ele se revele a nós guiando-nos em Sua santa vontade...

5. Precisamos pedir que Ele nos ensine a caminhar diante dEle em santo temor e reverência, em confiança e alegria, em pureza de vida e separados do mundanismo...

6. Precisamos rogar que Ele nos ajude a educar nossos filhos como nazireus, santos ao Senhor...

Veja aqui a lista de todos os SERMÕES PARA OCASIÕES ESPECIAIS.